Quando criou o evento no Facebook para invadir a Área 51, uma base militar dos Estados Unidos envolta em mistério, cenário de várias teorias da conspiração, Matty Roberts agiu por piada e estava longe de imaginar a dimensão que a iniciativa iria tomar. Agora, o estudante norte-americano veio apelar às pessoas para que não invadam o local e anunciar que tem uma nova ideia: fazer do evento um festival.

As teorias da conspiração dizem que é na Área 51, uma base militar localizada no estado do Nevada, que o governo norte-americano esconde provas da existência de extraterrestres. Objeto de culto popular, o local já foi retratado em vários filmes e séries de ficção científica.

Um dia, Matty Roberts decidiu criar um evento no Facebook em que apelava à invasão desta base militar. A ideia surgiu depois de ter ouvido um podcast no qual foi entrevistado Bob Lazar, um físico norte-americano com declarações polémicas, que alega ter trabalhado com naves extraterrestres naquela base.

Roberts marcou uma data para a invasão, 20 de setembro, e depressa a iniciativa tornou-se viral. Até esta quinta-feira, quase dois milhões de utilizadores, de todo o mundo, juntaram-se ao evento.

Mas agora que a invasão tomou grandes proporções, Roberts está preocupado e decidiu revelar à imprensa que criou o evento por piada, longe de imaginar o que iria acontecer.

Mais, o estudante apelou às pessoas para que não invadam mesmo a Área 51 pois correm sérios riscos.

Por favor não o façam. Não quero que ninguém se magoe com isto. Isto começou apenas com um puro golpe de imaginação. Era suposto ter piada”, sublinhou.

Roberts revelou ainda que tem recebido mensagens de pessoas que dizem que estão dispostas a morrer pelo governo.

Agora há pessoas que estão realmente sérias em relação a isto e eu estou preocupado. Recebi várias mensagens de pessoas a dizerem-me que estão dispostas a morrer pelo governo”, sublinhou em declarações ao canal WWNYTV, afiliado da CBS.

O jovem, aluno de engenharia, disse que tem uma nova ideia: tornar o evento um festival de música, com instalações de arte e material educativo.

Quero fazer disto um festival ou assim. Reunir um conjunto de diferentes artistas, de eletrónica, talvez indie rock, alguns grupos que estejam a começar. Há várias pessoas a mandarem-me mensagem a dizer que querem tocar lá, o que seria fantástico.”

Uma coisa é certa: a Força Aérea dos Estados Unidos já alertou que não vai tolerar qualquer aproximação à base. Um porta-voz da Força Aérea norte-americana disse ao jornal The Washington Post que o organismo está "pronto para proteger os Estados Unidos e os seus ativos".