Uma lagoa na Argentina, no sul da Patagónia, ficou cor-de-rosa, após ter sido poluída por um produto químico utilizado para preservar os camarões.

A cor é causada por sulfito de sódio, um produto utilizado nas fábricas de peixe, cujos resíduos são culpados pela contaminação do rio Chubut, que alimenta a lagoa de Corfo e outras fontes de água na região.

Os residentes já há muito que se queixam dos maus cheiros e outras questões ambientais à volta do rio e da lagoa. Em protesto, os moradores da cidade de Rawson bloquearam as estradas, que são normalmente utilizadas pelos camiões que transportam resíduos de peixe.

Quem deve controlar é quem autoriza o envenenamento das pessoas. Recebemos dezenas de camiões diariamente, os residentes estão a ficar cansados disto", disse à AFP o ativista ambiental Pablo Lada.

 

Segundo o chefe do controlo ambiental da província de Chubut, Juan Micheloud, a cor rosada não irá causar danos e desaparecerá dentro de alguns dias. Contudo, Sebastian de la Vallina, secretário de planeamento da cidade de Trelew, discordou: "Não é possível minimizar algo tão grave".

As fábricas que processam peixe para exportação, principalmente camarão e pescada, geram milhares de empregos para a província de Chubut, onde moram cerca de 600 mil pessoas.

 O processamento do pescado gera trabalho, é verdade. Mas estas são empresas com lucros multimilionários que não querem pagar os portes para levar os resíduos para uma estação de tratamento que já existe em Puerto Madryn, ou construir uma fábrica mais próxima", sublinhou Pablo Lada.

/ IC