Subiu o número de vítimas da explosão após um concerto da Ariana Grande, em Manchester, que, segundo a polícia britânica, provocou até agora pela menos 22 mortos e 59 feridos. Estas informações foram confirmadas, esta terça-feira de manhã, pelo chefe da polícia de Manchester, Ian Hopkins, em declarações aos jornalistas. 

O atacante, posso confirmar, morreu na arena. Acreditamos que transportava um explosivo artesanal que o próprio detonou causando esta atrocidade", adiantou, confirmando ter-se tratado de um bombista suidida.

"Temos vindo a tratar isto como um incidente terrorista e acreditamos que o ataque de ontem à noite foi causado por um homem. A prioridade agora é esclarecer se agiu sozinho ou se faz parte de uma rede", explicou Ian Hopkins.  

Leia também: Não há indicação de portugueses entre as vítimas em Manchester

Governo reunido em Downing Street

Ontem à noite, numa breve declaração citada pela imprensa britânica, Theresa May referia-se à explosão como um "terrível ataque terrorista". "Estamos a trabalhar para reunir todos os detalhes do que está a ser tratado pela polícia como um terrível ataque terrorista", considerou a governante em comunicado. 

Uma reunião de emergência em Downing Street foi agendada para as 9:00.

O alerta foi dado pelas 22:33, tendo as autoridades recebido 240 queixas relativas à explosão que causou um grande estrondo nas redondezas da Arena de Manchester.

Várias equipas de inativação de bombas foram destacadas para o local e, nesta altura, a polícia confirma que 400 polícias trabalham na investigação.

Cerca da 1:35 da madrugada, a polícia britânica deu conta de um objeto suspeito encontrado nos jardins da Catedral e que seria detonado pelas autoridades de forma controlada. Minutos depois, as autoridades confirmaram não se tratar de algo suspeito. "Era roupa abandonada", referiu a polícia num tweet.

Nas redes sociais, vários utilizadores relataram que foram ouvidas explosões após o concerto e que muitas pessoas abandonaram o recinto em pânico. Um dos vídeos publicados mostra mesmo o momento em que se ouve a explosão.

 

Dezenas de ambulâncias foram para a Arena de Manchester, que estava cheia e tem lotação para 21 mil lugares. Segundo a agência Reuters, trata-se da maior arena coberta da Europa.

Um tweet na página da Arena de Manchester indica que a explosão ocorreu já fora do recinto, na via pública, quando as pessoas abandonavam o concerto.

A polícia forense procede a buscas na estação de metro de Victoria, que se localiza por baixo da arena. A estação foi evacuada e o serviço de metro encontra-se suspenso desde o início da investigação a este ato terrorista.

Relatos de pânico

O concerto tinha terminado e as pessoas estavam a abandonar o recinto quando aconteceu a explosão. Ariana Grande já não estava, por isso, em palco. Um porta-voz afirmou à Reuters que a cantora "está bem".  

Evie Brewster, que se encontrava a assistir ao concerto, disse ao Daily Mail que a cantora tinha acabado de sair do palco quando aconteceu uma enorme explosão. "Rapidamente, toda a gente começou a gritar e a correr para a saída". 

"Podíamos ouvir a polícia e as sirenes das ambulâncias. Foi aterrador. Havia milhares de pessoas a tentar sair ao mesmo tempo. Estavam todas a gritar e a chorar. No local cheirava a fumo e a algo queimado. A explosão parece ter vindo algures do interior do edifício".

Em Manchester, os taxistas estão gratuitamente a levar clientes para fora da zona. O mayor Andy Burnham anunciou no Twitter que quem estiver retido em Manchester pide encontrar alojamento gratuito em hotéis e casas particulares pesquisando nas redes sociais com a hashtag #RoomForManchester

De acordo com outra testemunha no local, Suzy Mitchell, cujo apartamento onde vive se situa junto à Arena de Manchester, a explosão foi fortemente sentida em todo o bairro. "Senti um grande estrondo quando estava na minha cama e vim à varanda (estamos no apartamento mais alto e temos uma vista perfeita) e toda a gente estava a correr de lá em grandes multidões. O estrondo foi tão grande que o senti no meu quarto, que fica na parte de trás do edifício".

Ariana Grande é o ídolo de muitos adolescentes e a maioria do público será, por isso, muito jovem, conforme se pode verificar nas imagens. 

Nas redes sociais, vários pais dão conta da situação dos filhos. É o caso deste pai, Steve Rotheram, cujas filhas saíram ilesas após a explosão.