Um enfermeiro foi detido por abuso sexual de uma mulher em estado vegetativo, que deu à luz um menino no final de dezembro, em Phoenix, no Arizona, Estados Unidos.

O profissional de saúde, de 36 anos, identificado como Nathan Sutherland, era um dos responsáveis pela paciente, de 29 anos, cuja gravidez era desconhecida da clínica até ter entrado em trabalho de parto.

Segundo informou, nesta quarta-feira, o chefe da polícia local, Jeri Williams, o enfermeiro foi detido por suspeita de abuso sexual e abuso de adulto dependente.

O caso aconteceu numa unidade de cuidados continuados, administrada por uma rede de hospitais chamada Hacienda HealthCare.

As autoridades abriram, de imediato, uma investigação para apurar como é que uma paciente em estado vegetativo há vários anos pôde engravidar, recolhendo amostras de ADN de todos os funcionários do sexo masculino.

O administrador da Hacienda HealthCare demitiu-se na sequência do incidente e, esta semana, a clínica anunciou a saída de mais dois trabalhadores.

O bebé nasceu no dia 29 de dezembro, é um rapaz e é saudável. Ficou aos cuidados dos familiares da paciente.

De acordo com a imprensa norte-americana, a mulher, que estaria internada naquela clínica desde criança, precisava de cuidados 24 horas por dia, o que implicava o acesso de várias pessoas ao seu quarto.