O raciocínio rápido de uma menina de 10 anos evitou que um possível rapto fosse concretizado. A menina estava com uma amiga num parque de San Tan Valley, ao sul da cidade de Phoenix, no Arizona, nos EUA, quando uma carrinha branca se aproximou e parou perto de si. De lá de dentro, um homem disse-lhe que os irmãos tinham tido uma acidente muito grave e que, por isso, teria de o acompanhar. A menina não se deixou impressionar e perguntou ao homem qual era a “palavra passe”.

O homem, que não sabia que senha era essa que a criança falava, acabou por se afastar e fugiu para não ser visto ali.

Os pais da menina tinham ensinado à filha a perguntar a palavra passe - que apenas os familiares sabiam - a quem se tentasse aproximar dela. Assim, este método permitiria à criança distinguir em quem poderia ou não confiar.

Nunca pensei que esse código seria realmente usado e estou muito orgulhosa da minha filha por se lembrar dele”, disse Brenda James, mãe da menina, à imprensa local.

Quando chegou a casa, a criança contou à mãe o que tinha acontecido. Brenda James ligou então às autoridades que estão, neste momento, empenhadas em encontrar o suspeito. De acordo com a descrição que a criança deu, o homem, que tinha o rosto tapado para não ser facilmente identificado, tem cerca de 40 anos e barba curta.

Várias crianças do bairro informaram também as autoridades que já tinham visto o carro que o suspeito conduzia, várias vezes naquele dia, na zona do parque.

Mark Lamb, chefe da polícia de Pinal County, ao qual San Tan Valley pertence, disse que os pais devem orgulhar-se da forma como a filha se defendeu.

Muitos parabéns para os pais desta criança por terem uma ‘palavra passe’ e por conversarem com os filhos sobre o perigo de falar com estranhos. Ao perguntar a ‘senha’ ao homem a menina mostra que é muito madura e bem preparada”, afirmou à BBC Mundo.

A estratégia da “palavra passe” adotada pela menina de 10 anos deve servir de exemplo para situações semelhantes, segundo as autoridades locais.

Nós estamos sempre a falar de proteger as crianças na internet devido aos riscos de contacto com pessoas mal-intencionadas, mas nunca falamos na necessidade de ter cuidados também na rua. As crianças precisam de estar preparadas quando saem de casa, quando estão no parque, na rua e na escola. Para esta menina, uma ‘palavra passe’ salvou a sua vida. Esperamos que isto encoraje os restantes pais a ter essa conversa e a criar estratégias com os filhos para eles se conseguirem defender se estiverem em situações semelhantes”, alertou Mark Lamb.