Banksy voltou a atacar. O artista, que mantém a identidade sobre o anonimato, chocou o mundo depois de destruir uma obra que tinha acabado de vender por cerca de 1,2 milhões de euros. O leilão, organizado pela Sotheby's, decorreu na sexta-feira e tinha como objetivo vender a obra "Girl With Baloon". 

No momento em que o responsável pela venda bateu com o martelo e finalizava o leilão, foi acionada uma impressora que cortou uma parte da obra. O momento criou estupefação entre os responsáveis da leiloeira e o público que assistia. Passados alguns minutos o quadro foi retirado sem que tivesse sido dada qualquer explicação. 

Foi nas redes sociais que o artista usou para comentar o sucedido, deixou uma foto do leilão com a descrição: "going, going, gone", qualquer coisa como "indo, indo, foi-se", na tradução para português.

 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Going, going, gone...

Uma publicação partilhada por Banksy (@banksy) a

Banksy voltou ao Instagram, horas depois, para colocar um vídeo em que citou Pablo Picasso: "O desejo de destruir também é um impulso criativo".

 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

. "The urge to destroy is also a creative urge" - Picasso

Uma publicação partilhada por Banksy (@banksy) a

Alex Branczik, responsável da Sotheby's, acabou por confessar, às agências de notícias internacionais, que não estava à espera do sucedido e que a leiloeira foi "banksyada".

O comprador não foi ainda identificado pelos responsáveis da leiloeira. O debate prende-se agora com o valor da obra, não estando ainda claro se perdeu ou ganhou cotação.