A obra “The Aunt (Nada)”, da pintora portuguesa Paula Rego, vai ser leiloada pela Phillips, em Londres, na quinta-feira, com uma estimativa de venda entre 800 mil e 1,2 milhões de libras (922 mil a 1,38 milhões de euros).

Com cerca de 1,80 por 1,20 metros, o quadro de pastel sobre papel pintado por Paula Rego em 2006 faz parte de um lote de 35 peças de arte contemporânea que vão ser colocadas à venda em leilão na quinta-feira, anuncia a leiloeira no seu ‘site’.

Ao longo da carreira, Paula Rego construiu uma linguagem visual inspirada pelas visões literárias e culturais do século XIX, que entrelaça várias referências históricas com elementos da sua própria vida.

É o caso da peça que vai a leilão, um quadro que espelha a estética de uma época passada e retrata uma cena inspirada no célebre romance “Nada” da escritora espanhola Carmen Laforet, publicado originalmente em 1945, e posteriormente traduzido para inglês, em meados dos anos 2000, a versão que Paula Rego leu.

In this installment of The Prompt, Juli Delgado Lopera takes Paula Rego's 'The Aunt (Nada)' back to its literary origins.

Publicado por Phillips em  Terça-feira, 6 de abril de 2021

O texto segue a história de uma menina órfã, Andrea, que vai viver para casa de uma tia, em Barcelona, cidade onde inicia uma série de amizades complexas e onde descobrirá um mundo muito diferente do seu, feito de personagens ambíguas e conturbadas, que vivem, numa humilhante pobreza, os cruéis anos da ocupação franquista.

A família de Andrea é, como Paula Rego descreve, “a família mais disfuncional [...] e pobre. A tia é uma mulher difícil e uma figura de autoridade, mas é também vulnerável porque tem um caso com um homem casado”.

Ultrapassando os contornos específicos do romance de Laforet, Paula Rego incorpora a sua própria imaginação dentro do quadro existencial, com sinais das suas experiências vividas em Portugal e da vida posterior em Londres, uma vez que, quando estudava na Slade School of Fine Art, entre 1952 a 1956, a artista estava também a familiarizar-se com uma cidade desconhecida, enquanto aperfeiçoava o seu ofício artístico.

Após os estudos, surgiu como a única artista feminina da London School no início dos anos 1960, trabalhando ao lado de artistas homens tão célebres como Francis Bacon, Frank Auerbach, Lucian Freud, e David Hockney. Foi também nesta altura que conheceu o marido, o artista britânico Victor Willing (1928-1988).

“The Aunt (Nada)” foi incluída na maior retrospetiva (na altura) do trabalho de Paula Rego, que viajou do Museu Rainha Sofia, em Madrid, para o Museu Nacional de Mulheres nas Artes, em Washington, nos Estados Unidos, entre 2007 e 2008.

Em junho deste ano, a artista vai voltar a chamar a atenção do público, através de uma exposição monográfica na Tate Britain, em Londres, a maior e mais ambiciosa até à data, destaca a casa de leilões.

Embora “The Aunt (Nada)” não seja autobiográfica, está, como muitas outras obras da artista, enraizada em experiências e memórias pessoais, concebendo fantasias sinistras e realidades transformadas.

/ MJC