Os 40 anos de carreira de Michael Jackson foram marcados por sucessos mas também por algumas polémicas. As cirurgias plásticas e a mudança de cor foram alguns dos temas que colocaram o artista nas primeiras capas dos jornais.

No final dos anos 80, a mudança de cor da pele no cantor começava a ser visível. Por isso, muitos media noticiaram que Jackson teria feito dezenas de cirurgias plásticas. Nessa altura, o cantor apenas confirmou duas.

Mas esta polémica nunca chegou a ser totalmente esclarecida. Na época, especialistas diziam que Michael teria se submetido a um tratamento intensivo com hidroquinona, uma substância para aclarear a pele.

Porém, em 1993, numa entrevista à conhecida apresentadora Oprah Winfrey, garantiu que sofria de vitiligo, uma doença que provoca a perda de pigmentação na pele. «Eu tenho um problema de pele que destrói a pigmentação da pele. Quando as pessoas inventam histórias de que eu não quero ser quem sou, essas histórias magoam», explica Jackson. Nesta entrevista, o rei da pop questiona ainda todas as outras pessoas que tentam ficar bronzeadas. «Isto é um problema que eu tenho e que não posso controlar. Mas vamos inverter. Ninguém diz nada sobre todos os outros milhões de pessoas que se expõem ao sol para ficarem mais escuras».



A 27 de Janeiro de 1984, Michael Jackson sofreu um acidente enquanto grava um anúncio da Pepsi, O cabelo do cantor foi incendiado pelos fogos de artifício que estavam no cenário. Neste acidente, Michael ficou com queimaduras de segundo grau no couro cabeludo e na cara. Existem rumores que foi a partir desta altura que Jackson começou a fazer plásticas para aclarear a pele, cirurgias que nunca foram confirmadas. No entanto, a revista Rolling Stone diz que o artista já tinha arranjado o nariz antes do anúncio da Pepsi, e que por causa deste acidente Michael foi submetido a uma cirurgia facial a lazer.

Michael Jackson nasceu a 29 de Agosto de 1958 em Gary, no Estado do Indiana, nos Estados Unidos. Morreu esta quinta-feira à noite em Los Angeles, na Califórnia, nos EUA.

Redação / AFN