O Supremo Tribunal tailandês rejeitou hoje o último recurso do espanhol Artur Segarra, condenado à morte pelo homicídio de outro espanhol, David Bernat, em 2016, na Tailândia.

O juiz argumentou que as provas apresentadas pela polícia são válidas e apontam para a culpabilidade do acusado.

Para evitar a pena capital, Segarra terá de pedir um perdão real e esperar que a sentença seja comutada para prisão perpétua.

Em junho do ano passado, a Tailândia executou um condenado através de injeção letal, na primeira aplicação da pena de morte desde 2009.

Desde 1935, foram condenadas à morte 325 pessoas, das quais 319 foram fuziladas.

A partir de 2003, as autoridades passaram a aplicar a pena capital através de injeção letal, pondo fim aos fuzilamentos.