Espalhou o medo no estado norte-americano da Califórnia nas décadas de 70 e 80, com uma violenta sequência de assaltos, violações e mais de uma dúzia de assassinatos. Durante anos, conseguiu escapar às autoridades. Esta segunda-feira, aos 74 anos, Joseph James DeAngelo Jr. admitiu a autoria de 13 homicídios, num acordo com os procuradores para evitar a pena de morte.

Numa audiência em Sacramento, Califórnia, com a participação de vítimas e familiares, DeAngelo admitiu ser o autor de dezenas de violações, assaltos e outros crimes. Praticamente calado durante toda a sessão e com uma viseira de acrílico para o proteger da Covid-19, quebrou o silêncio apenas para dizer um rouco “eu admito” e “culpado”.

Joseph DeAngelo deverá ser sentenciado a prisão perpétua em agosto, numa segunda audiência, onde as pessoas afetadas pelos seus crimes terão a oportunidade de ler declarações sobre o impacto dos seus crimes.

Décadas depois de ter cometido os crimes, o assassino de Golden State, um antigo agente da polícia do estado da Califórnia, foi apanhado em 2018 depois do seu ADN ter sido encontrado num site de genealogia.

Para o apanhar, os investigadores criaram uma árvore genealógica que mapeava a família de DeAngelo até ao século XIX. Com um pedaço de lixo que deitou fora, os detetives foram capazes de comparar a amostra com ADN encontrado em várias cenas do crime.

Desde então, foi detido e mantido numa prisão em Sacramento.

"Fiz tudo isso", disse DeAngelo a si mesmo enquanto estava sozinho em uma sala de interrogatório da polícia depois da sua detenção, em abril de 2018, afirmou o procurador do Condado de Sacramento, Thien Ho.

Nesse mesmo interrogatório, o assassino de Golden State mencionou o nome de "Jerry", o seu alegado alter-ego.

Eu não tinha forças para expulsá-lo", disse DeAngelo. "Ele me fez. Ele foi comigo. Era como na minha cabeça, quero dizer, ele é uma parte de mim. Eu não queria fazer essas coisas. Empurrei Jerry para fora e tive uma vida feliz. Eu fiz todas essas coisas. Eu destruí todas as suas vidas. Então agora eu tenho que pagar o preço.”

No total, o antigo veterano da guerra do Vietnam, admitiu ser o autor de 161 crimes, envolvendo 48 pessoas. Dezenas de violações das quais se confessou culpado já tinham prescrito.

Os crimes, alguns dos quais aconteceram há mais de 45 anos, tiveram uma extensão geográfica classificada pelos procuradores como “simplesmente impressionante”.