A polícia britânica identificou o autor do ataque em Londres  como sendo Khalid Masood. A identidade do atacante foi divulgada esta quinta-feira, um dia após a tragédia, pelas autoridades, em comunicado. 

Khalid Masood, de 52 anos, nasceu em Kent, Inglaterra, e usava vários nomes falsos. As autoridades acreditam que, nos últimos tempos, residia na região de West Midlands. O nome de batismo de Masood é  Adrian Russell Ajao.

De acordo com a polícia, Masood não estava a ser investigado por suspeitas de ligações a atos terroristas.

No entanto, era conhecido da polícia e chegou a ser condenado por vários crimes, incluindo o crime de lesões corporais graves, o de posse de armas e o de ofensas à ordem pública.

A primeira vez que foi condenado foi em 1983, por danos criminais, e a última em 2003, pela posse de uma arma.

Ainda segundo o mesmo comunicado, Masood nunca foi condenado por crimes ligados a atos terroristas. 

Esta manhã, no parlamento britânico, a primeira-ministra, Theresa May, afirmou que o autor do ataque era conhecido do MI5 (os serviços secretos britânicos) e que já tinha sido investigado por ligações a atos extremistas. A governante disse, porém, que o atacante era uma "figura periférica" e não estava nos radares dos serviços secretos no presente.

May confirmou ainda que, durante a madrugada, a polícia fez buscas em seis residências em Londres e Birmingham e deteve oito pessoas.

Entretanto, soube-se também que o carro usado no ataque foi alugado em Birmingham, West Midlands.

O ataque em Londres, que provocou cinco mortos e dezenas de feridos, foi revindicado pelo Estado Islâmico esta quinta-feira. Através da agência afeta ao grupo extremista, a Amaq, os jhiadistas fizeram saber que o atacante era "um soldado do Estado Islâmico e levou a cabo a operação numa resposta ao apelo para atacar países da coligação anti-Estado Islâmico".

Sofia Santana / atualizada às 23:37