O irmão mais novo e o pai do bombista suicida de Manchester foram detidos em Tripoli, na Líbia, nesta quarta-feira.

As detenções, já confirmadas pelas autoridades líbias, aconteceram dois dias depois de Salman Abedi ter provocado a morte de 22 pessoas e ter ferido mais de 50 junto à Arena de Manchester, no final do concerto de Ariana Grande.

Haslhem Abedi, de 20 anos, foi detido por suspeitas de ligação ao Estado Islâmico. Segundo a unidade contra-terrorismo da polícia líbia, estaria a preparar um ataque terrorista em Tripoli.

A mesma fonte indica também que Haslhem tinha conhecimento do plano de Salman para a noite de segunda-feira em Manchester.

O pai do bombista, Ramadan Abedi, foi detido durante uma entrevista à agência Reuters, à porta de casa, num subúrbio de Tripoli, Líbia. 

Durante a entrevista, Ramadan disse que o filho contou à família que estava preparado para fazer uma peregrinação a Meca.

O Salman não pertence a nenhuma organização. (...) Nós condenamos esses atos terroristas contra civis, pessoas inocentes como nós" disse Ramadan à agência Reuters.

Horas antes de ser detido, o pai de Salman Abedi, também tinha defendido o filho, negando que o jovem estivesse ligado ao atentado de Manchester. Ramadan Abedi falara, por telefone, a partir de Tripoli, com a Associated Press (AP) e com a Bloomberg.

Já na terça-feira, dia seguinte ao ataque, o irmão mais velho de Salman tinha sido preso no sul da cidade.

Sete suspeitos já detidos

A polícia britânica confirmou, nesta quarta-feira, a sétima detenção de suspeitos de envolvimento no ataque de Manchester, seis no dia de hoje, três de manhã e três ao final da tarde.

Foram os casos de um indivíduo em Wigan, a oeste de Manchester. O detido teria com ele uma mala suspeita que também está a ser analisada. 

Uma mulher foi, igualmente, detida pela polícia de Manchester em Blackley, na zona norte da cidade. A mulher foi detida após buscas em vários apartamentos e na sequência de um "grande estrondo" naquela zona.

Um outro suspeito com alegadas ligações ao ataque foi detido em Nuneaton, Warwickshire, confirmou a polícia de Manchester, no Twitter.

As autoridades confirmaram, esta quarta-feira, que as autoridades estão a investigar uma “rede” de terrorismo, após o atentado de segunda-feira. A informação foi confirmada pelo chefe da polícia, Ian Hopkins, em conferência de imprensa.

O nível de ameaça terrorista no Reino Unido foi elevado para "crítico", o mais alto, devido ao "risco iminente" de um novo ataque.