A primeira-ministra britânica, Theresa May, considerou, este domingo, que é tempo de dizer basta aos ataques terroristas e ao extremismo islâmico e defendeu que "as coisas têm de mudar", acrescentando que a polícia abortou cinco atentados nos últimos meses.

Em conferência de imprensa na sua residência oficial, em Downing Street, a chefe do Governo britânico manifestou ainda a solidariedade com as famílias das vítimas e apelou a um maior controlo do ciberespaço para evitar que seja utilizado pelos terroristas.

Mas é tempo para dizer: basta! Toda a gente deve continuar as suas vidas como deve de ser. A nossa sociedade deve continuar a funcionar segundo os nossos valores, mas no que diz respeito ao combate ao extremismo islâmico e ao terrorismo, as coisas têm de mudar". 

Veja também:

A primeira-ministra britânica descreveu os acontecimentos de sábado à noite, que causaram sete mortos e 48 feridos, com um "brutal ataque terrorista" contra o país. Segundo May, três terroristas atacaram "civis inocentes e desarmados com navalhas e lâminas". Todos vestiam o que pareciam ser coletes suicidas, mas que não passavam de coletes falsos para para "semearem o pânico e o medo".

Este é, como todos sabemos, o terceiro ataque terrorista que o Reino Unido viveu nos últimos três meses. Em março, um ataque semelhante teve lugar mesmo da esquina na ponte de Westminster. Há duas semanas, a Arena de Manchester foi atacada por um bombista suicida. E agora, Londres foi atacada uma vez mais. Ao mesmo tempo, os serviços secretos, agências de segurança e a polícia desmantelaram cinco tentativas credíveis desde o ataque de Westminster em março. Em termos de planificação e execução, os ataques recentes não estão relacionados, mas acreditamos que estamos a viver uma nova tendência na ameaça que enfrentamos. Enquanto o terrorismo alimenta o terrorismo, e os atacantes são inspirados para atacar, não só na base de tramas cuidadosamente preparadas ao longo de anos de planificação e treino, não só por atacantes solidários radicalizados online, mas ao copiarem-se uns aos outros e a usarem frequentemente os meios de ataque mais cruéis", afirmou.

Pelo menos sete pessoas morreram, além de três atacantes, e 48 ficaram feridas nos ataques na ponte de Londres e no mercado de Borough em Londres. Os atacantes atropelaram as pessoas na ponte e esfaquearam outras depois de saírem do veículo, antes de serem abatidos pela polícia.

Principais partidos suspendem campanha eleitoral

Os principais partidos britânicos anunciaram hoje que suspendem as suas campanhas nacionais para as eleições legislativas da próxima quinta-feira.

“O Partido Conservador não fará hoje campanha a nível nacional”, disse à agência France-Presse um porta-voz da primeira-ministra, Theresa May, adiantando que a decisão será “reanalisada ao longo do dia, à medida que surjam novos elementos sobre os ataques”.

O principal adversário de May, o trabalhista Jeremy Corbyn, anunciou a mesma decisão.

Apesar da campanha ter sido suspensa neste domingo, a primeira-ministra garantiu que as eleições vão realizar-se na próxima quinta-feira.

Como forma de respeito, os partidos suspenderam as suas campanhas para o dia de hoje, mas a violência nunca poderá perturbar o processo democrático, por isso as campanhas voltarão amanhã e as eleições gerais irão decorrer, como planeado, na quinta-feira. Como país, a nossa resposta deve ser como tem sido sempre, quando somos confrontados pela violência: temos de nos unir, temos de seguir unidos e unidos iremos derrotar os nossos inimigos.", afirmou Theresa May.