As autoridades do Canadá confirmaram que uma das sete vítimas mortais do atentado de sábado à noite, em Londres, tinha nacionalidade canadiana. Entretanto, já se sabe o nome e quem é que morreu: uma mulher, que estava na ponte London Bridge. Foi atropelada pelos terroristas. Faleceu nos braços do noivo, que nada pôde fazer para a salvar.

Chrissy Archibald tinha 30 anos e é a primeira vítima mortal de quem já se conhece o rosto, embora ainda não seja sido confirmado pelas autoridades.

O seu noivo chama-se Tyle Fergusson e foi a irmã deste, e aquela que iria ser a futura cunhada de Chrissy, Carrie Ferguson, quem contou o que se passou, via Facebook Messenger, à CBC News. Uma história que está a encontrar eco na imprensa britânica, como o The Guardian.

Ele segurou-a e viu morrê-la nos seus braços. Está destruído num milhão de peças"

O porta-voz da família Archibald, Patrick Audet, explicou que a jovem que faleceu trabalhou com sem-abrigo em Calgary, no Canadá, antes de se mudar para a Europa com o noivo.

Ela tinha espaço no coração para todos e acreditava firmemente que cada pessoa deveria ser valorizada e respeitada. Não teria entendido a cruel crueldade que causou a sua morte. Por favor, honrem-na, fazendo com que a vossa comunidade seja um lugar melhor. Sejam voluntários ou deem abrigo a quem não tem teto. Digam que vão em nome da Chrissy"

Já o irmão de Ferguson, Mark, contou que os dois viviam na Holanda, onde o noivo trabalhava há cerca de seis meses. 

"Estavam muito apaixonados e tinham planos para o futuro. [É] obviamente muito, muito devastador para ele. O amor da sua vida acabou de lhe ser arrancado", lamentou.

 

Veja também: