A polícia alemã iniciou esta sexta-feira buscas em residências e empresas na Alemanha, a pedido da justiça austríaca, relacionadas com o ataque que fez quatro vítimas mortais em Viena, anunciaram as autoridades.

A operação, lançada a pedido das autoridades austríacas e em que participa a unidade antiterrorismo GSG 9, está a decorrer em vários locais nas cidades de Osnabrück, Kassel e Pinneberg, no noroeste da Alemanha, informou o Gabinete Federal da Polícia Criminal Alemã na rede social Twitter.

Os locais alvo de buscas pertencem a pessoas que "não são suspeitas de estarem envolvidas no ataque", indicou a mesma fonte.

As autoridades acrescentaram que "pode haver ligações com o alegado assassino".

Segundo a revista alemã Spiegel, o autor dos ataques, um austro-macedónio abatido pela polícia, tinha feito contactos na Alemanha quando tentou chegar à Síria, em 2018, para se juntar às fileiras de combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Além das buscas na Alemanha, estão também em curso investigações na Suíça, onde dois homens, de 18 e de 24 anos, foram detidos esta semana.

Os suspeitos já eram conhecidos da justiça, por processos-crime relacionados com terrorismo.

O autor dos ataques em Viena, que matou quatro pessoas e fez mais de 22 feridos, é um jovem de 20 anos, de nacionalidade austríaca e da Macedónia do Norte.

O homem, abatido poucos minutos após o ataque, já tinha sido condenado por querer ingressar no EI na Síria.

O grupo terrorista reivindicou o ataque num dos seus canais de propaganda.

/ CE