Nos placares informativos do Metro de Londres têm estado a aparecer, desde quarta-feira, mensagens inspiradoras e de apoio aos cidadãos, depois do atentado terrorista na ponte de Westminster que provocou pelo menos cinco mortos na capital do Reino Unido.

Mas, de acordo com os jornais The Independent e The Guardian, algumas dessas mensagens não foram escritas pelos funcionários do metropolitano e os placares foram criados online através de uma ferramenta automática. Ou seja, são falsos. É o caso deste:

A mensagem refere o seguinte:

Todos os terroristas estão educadamente avisados que ISTO É LONDRES e façam o que fizerem estaremos a assistir a tudo enquanto bebemos uma chávena de chá e continuamos em frente. Obrigado.”

Certo é que, sendo falsa, a mensagem é tão boa (ou tão convincente) que foi lida esta quinta-feira de manhã pelo jornalista Nick Robinson no programa de notícias “Today”, da BBC Radio 4, como se tivesse sido escrita por funcionários do Metro de Londres.

E mais: antes do meio-dia a mensagem foi lida no Parlamento britânico pelo deputado conservador Simon Hoare. A primeira-ministra Theresa May disse que se tratou de "um tributo maravilhoso" que "resumiu tudo o que todos nesta casa disseram hoje".

 

O sentimento foi partilhado por milhões de pessoas, incluindo jornalistas e deputados.

    

Muitos deles, incluindo Nick Robinson, esclareceram mais tarde que o placar do Metro era falso, mas sublinharam que o sentimento inspirado pela mensagem permanece.

  

Como qualquer imagem massivamente partilhada na internet, o placar tornou-se um meme:

   

O software que permitiu criar a mensagem que, na realidade, não foi vista no Metro de Londres, foi desenvolvido há dez anos pelo programador informático Tim Waters no site www.tubesign.uk para a criação de mensagens de informações falsas.

Esta é a fotografia do placar original, caso tenha curiosidade em saber o que lá estava escrito:

 

Sempre que há acontecimentos extraordinários na cidade, os funcionários do Metro de Londres escrevem mensagens encorajadoras em placares de informações. Aqui estão duas que, esta quinta-feira, puderam ser lidas pelos passageiros:

  
Aline Raimundo