O homem suspeito de matar 51 pessoas nas mesquitas de Christchurch, na Nova Zelândia, foi acusado de terrorismo. 

Brenton Tarrant, que já está acusado de homicídio e tentativa de homicídio, foi agora acusado de estar envolvido em ato terrorista, informou a polícia em comunicado. 

O julgamento de Tarrant, que atacou duas mesquitas a 15 de março, deverá começar em junho, adianta a BBC. É a primeira vez na Nova Zelândia que uma pessoa é acusada de ato terrorista ao abrigo da legislação em vigor.

As autoridades reuniram-se com os sobreviventes e famílias das vítimas para os informar da acusação de terrorismo e dizem ter-se aconselhado com especialistas em Direito e procuradores antes de avançar com mais este crime, que irá exigir que se discuta em tribunal a motivação do atacante e não apenas a intenção de matar, adianta a BBC, o que levantou o receio de que o julgamento se torne plataforma de discussão de pontos de vista extremistas. 

O suspeito, que está detido em isolamento na prisão de Auckland, ainda não foi chamado a declarar-se culpado ou inocente dos crimes de que está acusado. Foi presente a tribunal em abril, tendo o juiz decidido que o seu rosto não seria tornado público.