As autoridades turcas detiveram 100 pessoas, a maioria estrangeiras, suspeitas de pertencerem ao grupo extremista Estado Islâmico (EI), em operações nos últimos dias, informou hoje a agência noticiosa estatal Anadolu.

Mais de 40 iraquianos, duas dezenas de sírios e um marroquino encontram-se entre os suspeitos detidos em operações realizadas nos últimos dias em seis províncias turcas, entre as quais Ancara, Bursa (noroeste) e Batman (sudeste), precisou a agência.

Armas, munições e material informático foram apreendidos nas casas alvo de buscas, indicou a Anadolu, adiantando que a polícia procura pelo menos 17 outros suspeitos em Ancara.

Na semana passada, a polícia turca já tinha detido em Istambul 20 pessoas suspeitas de ligações ao EI.

Durante muito tempo suspeita de ter deixado os ‘jihadistas’ atravessarem a sua fronteira para entrarem na Síria desde o início da guerra neste país em 2011, a Turquia, atingida por diversos atentados do EI, juntou-se em 2015 à coligação internacional anti-‘jihadista’.

Na noite do Ano Novo de 2016 para 2017, um atentado terrorista numa discoteca em Istambul matou 29 pessoas, 26 das quais estrangeiras. O EI reivindicou o ataque.