A partir de hoje os venezuelanos vão ter que pagar mais por 30 produtos básicos, segundo uma nova listagem de preços publicada na Gazeta Oficial, que se integra nas medidas económicas anunciadas pelo Presidente Nicolás Maduro.

Os novos preços, que o Executivo diz terem sido "acordados" com produtores e empresários, mas a Federação de Câmaras de Comércio da Venezuela (Fedecâmaras) questiona, por alegadamente serem omitidos os custos de produção.

Os aumentos, de percentagem variável, foram publicados na Gazeta Oficial (equivalente ao Diário da República), depois de, a 29 de novembro, o Presidente Nicolás Maduro ter aumentado aumento 2,5 (150%) vezes o salário mínimo dos venezuelanos que passou a ser de 4.500 bolívares soberanos Bs.S, 25,30 euros à taxa de câmbio oficial de hoje.

Segundo a Gazeta Oficial, para comprar um quilograma de frango os venezuelanos têm que pagar 450 Bs.S (9,8% do salário mínimo), 492,00 Bs.S (10,8% do salário) por uma caixa de ovos, 430,00 Bs.S por uma lata de atum de 140 grs (9,45% do salário), 376,00 Bs.S (8,20%) por um quilograma de massa e 212 por um quilograma de arroz (4,6%).

Também 200 Bs.S (4,3%) por uma lata de sardinhas, 186 Bs.S (4%) por um quilograma de farinha de trigo e 200 Bs.S (4,3%) por um quilograma de açúcar, entre outros produtos alimentares.

Outros produtos básicos aumentaram de preço, entre eles o sabão em pó, que passou a custar 750 Bs.S (16,4% do salário), o pacote de 4 rolos de papel higiénico 300 Bs.S (6,5%), o creme dentífrico 396 Bs.S (8,7%) e o sabonete 103 Bs.S (2,2%), entre outros.

Entre agosto e setembro as autoridades venezuelanas detiveram dezenas de gerentes de supermercados aos que acusou de especularem nos preços de venda dos produtos.

Durante esses dois meses mais de 200 pessoas e 500 estabelecimentos comerciais foram multados pelas autoridades.