Já foi o berço do comércio de pérolas da Austrália, mas esta atividade desapareceu em 1910 quando um novo porto foi inaugurado, no norte. Depois, a população acabou por abandonar o local, em 1950.

Agora, com as suas ruas vazias e misteriosas, história obscura, arquitetura colonial e uma bela localização costeira, a remota cidade de Cossack, na Austrália Ocidental, é uma atração turística excêntrica e surpreendente. E, em breve, toda a área poderá ser posta à venda.

Localizada a 1.300 quilómetros de Perth, Cossack foi abandonada há 70 anos. Ainda assim, ela preserva, em bom estado, as suas construções históricas.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Cossack, WA. The Courthouse which is now a museum. I wished the walls could talk and tell me the stories of years gone by...

Uma publicação partilhada por Susan George (@susangeorge1965) a

Hoje, a cidade é habitada apenas por uma única pessoa, que se encarrega de a manter limpa e organizada, ao mesmo tempo que tenta captar algum turismo.

No entanto, segundo a CNN, Cossack poderá acordar, em breve, da hibernação, uma vez que há notícias que dão conta de planos de a transformar numa atração turística maior, com alojamentos para o ecoturismo, cafés, galerias e acampamentos.

Apesar de estar num local remoto, Cossack encontra-se numa região privilegiada no triângulo turístico de Pilbara, que compreende a Coral Bay, Karratha e o Parque Nacional Karijini.

A reabilitação de Cossack é discutida há décadas, mas somente no final do mês passado é que o plano foi para a frente.

O governo do estado da Austrália Ocidental diz que qualquer pessoa pode investir em Cossack, mas há acordos e regras a cumprir.

Os fatos que ensombram a história

A história de Cossack tem fortes ligações aos povos indígenas da Austrália, que habitam na região há mais de 40 mil anos e que foram alvo de atrocidades, quando se deu início ao comércio de pérolas em 1800.

Da próxima vez que admirar a beleza de uma pérola da Austrália Ocidental, pense no implacável sofrimento do povo aborígene nos dias mais sombrios dessa atividade", diz uma placa em Cossack.

A frase refere-se à escravidão de homens, mulheres e crianças indígenas, que eram forçados a mergulhar à procura de pérolas, com o objetivo de enriquecer os ocidentais.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

another one from yesterday thank you @treinaya_phillips 💕 and @leithal___weapon

Uma publicação partilhada por margaret ellen burns (@mellenburns) a

Embora este seja um período infeliz da história da cidade, segundo Natasha Mahar, do gabinete de Turismo australiano, Cossack pode vir a tornar-se o “destino perfeito” para novas atividades de turismo com ligações à história dos indígenas e ao comércio de pérolas.

Lara Ferin