O gesto de uma equipa de paramédicos australiana está a emocionar o país, após ter realizado o último desejo de um idoso com uma doença terminal, ao deixá-lo despedir-se e segurar a mão da sua mulher uma última vez.

Danny Rowland, um idoso de Queensland Fraser Coast, na Austrália, que estava a chegar ao fim de uma complicada luta contra o cancro, tomou a decisão de morrer em casa, rodeado das pessoas que ama.

Ou quase todas. Shirley Rowland, a sua companheira de longa data, não podia estar presente, por se encontrar acamada num lar de idosos e a ideia de que os dois já não se voltariam a encontrar era já uma certeza para Danny. 

Mas um inesperado gesto da equipa de paramédicos acabaria por mudar tudo. Depois de ter sido transportado para o hospital devido a um problema no equipamento médico que o ajudava a manter-se vivo, Rowland contou à equipa que sentia falta da mulher e que poder segurar a mão pela última vez da mulher com quem partilhou toda a sua vida era o seu maior desejo.

Sensibilizados com a situação, a equipa de três socorristas não hesitou em pedir autorização à central para fazer “um pequeno desvio” na rota de caminho do hospital para casa de Rowland.

A equipa acabaria por parar a ambulância junto ao lar de idosos onde Shirley se encontra e falaram com os responsáveis do lar, para poder ter permissão de trazer a mulher numa cama para o exterior, para que ambos pudessem estar juntos uma última vez.

Poucos dias depois, Danny acabaria por morrer, “confortado pela memória de ter segurado a mão da sua mulher e com a promessa de que o seu amor duraria para sempre”.

Em declarações à imprensa local, o filho do casal descreveu os paramédicos como “autênticos anjos” e o seu gesto como algo que “significou o mundo” para Danny. 

A publicação, acompanhada das imagens do momento em que os dois estiveram juntos pela última vez, está a tornar-se viral e conta já com mais de 1.500 comentários e mais de 2.200 partilhas.