As autoridades da cidade de Cádis, situada no sul de Espanha, estão a planear uma realocação da crescente população de pombos que existe na região. São, no total, cerca de cinco mil os pombos que atormentam as pessoas que ali vivem e que trazem uma série de resíduos para a região.

Por já se ter tornado insustentável conviver com uma população tão grande daquele tipo de aves, as autoridades começaram a elaborar um plano. A solução não passava por matá-las ou envenená-las. A estratégia passa, antes, por capturar os pombos e colocá-los a centenas de quilómetros, numa zona diferente, para que não possam regressar.

Esta é a decisão mais respeitosa e sustentável”, afirmaram as autoridades locais ao jornal Diário de Cádiz.

Álvaro de la Fuente, ministro do meio ambiente, afirmou que “administrar a população de pombos existentes não implica a sua erradicação dentro da área urbana”.

Neste sentido, o objetivo do plano das autoridades espanholas é que seja criado um “equilíbrio lógico” entre os pombos, as pessoas e outras espécies residentes na cidade.

Os pombos comuns são conhecidos por permanecerem num mesmo local, assim que encontram um ambiente estável para a sua sobrevivência. As autoridades de Cádis esperam que isso aconteça com os 5 mil pombos que sobrevoam a cidade assim que forem realocados numa nova morada.

As aves serão primeiramente analisadas e identificadas, antes de serem transportadas, até a 275 quilómetros, para serem libertadas. Cada pombo vai ser ainda sujeito a exames médicos.

No entanto, há mais um problema: os pombos reproduzem-se rapidamente. Para combater mais nascimentos, a autarquia está a planear distribuir panfletos no sentido de alertar a população para não alimentar estes animais.