O Ministério da Defesa da Rússia acusou a Força Aérea israelita de ter empurrado para a linha de fogo dos mísseis sírios um avião militar russo, com 15 pessoas a bordo, que acabou abatido pelo sistema de defesa antiaéreo sírio.

"Como resultado das ações irresponsáveis do exército israelita, 15 militares russos foram mortos, o que não está absolutamente de acordo com o espírito da parceria russo-israelita", afirmou o Major-General Igor Konashenkov, porta-voz do exército russo à agência RIA-Novosti

O avião desapareceu do radar a 35 quilómetros da costa do Mar Mediterrâneo, na segunda-feira, quando regressava à base russa perto da cidade de Lattakia, no momento em que quatro caças israelitas atacavam alvos na área.

De acordo com a agência russa, um oficial dos EUA com conhecimento do incidente afirmou que o incidente aconteceu quando os sírios tentavam parar mísseis israelitas, tendo atingido o avião. A aeronave foi abatida pelo sistema antiaéreo que a Rússia vendeu à Síria há vários anos e que se encontra ativo numa zona com grande população.

O Rússia acusou o exército israelita de "provocação intencional" e disse que Israel apenas a avisou sobre a operação naquela área um minuto antes do ataque.

O porta-voz das Forças de Defesa de Israel recusaram comentar o incidente.