Cerca de 145 baleias-piloto ficaram encalhadas, este sábado, numa baía da Nova Zelândia, onde metade foram encontradas já mortas. O Departamento de Conservação da Nova Zelândia foi notificado às 22:30 de sábado (cerca das 09:30 de sábado, em Lisboa), mas quando encontrou o grupo de baleias em Mason Bay, na ilha Stewart, uma ilha pouco povoada no sul do país, já era demasiado tarde para conseguir salvá-las.

Segundo a CNN, as baleias foram encontradas em dois grupos separados por uma pessoa que estava a caminhar naquele local e que, posteriormente, alertou o Departamento de Conservação da Nova Zelândia.

O diretor operacional do departamento, Ren Leppens, disse que metade das baleias já tinha morrido no momento em que o grupo foi encontrado. Devido à condição das restantes baleiras, e em virtude de se encontrarem num local remoto de difícil acesso, tomou-se a decisão de abater a outra metade com recurso à eutanásia. No total, morreram 145 baleias-piloto.

Uma decisão que o diretor operacional descreveu como “devastadora”.

Infelizmente, a probabilidade de voltar a pôr as baleias no mar com sucesso era extremamente baixa. A localização remota, a falta de pessoal próximo da zona e a deterioração das baleias indicavam que a coisa mais humana a fazer era recorrer à eutanásia”.

Em comunicado, Ren Leppens afirmou também que possivelmente as baleias podem ter encalhado na sexta-feira e que, quando foram encontradas, já estavam cobertas de areia.

O mau tempo fez com que os especialistas não pudessem comparecer para avaliar a situação, por isso a eutanásia foi a única opção”, afirmou o responsável, aqui citado pelo The New York Times.

Os encalhes de mamíferos marinhos são uma ocorrência relativamente comum na costa da Nova Zelândia, com o Departamento de Conservação a responder a uma média de 85 incidentes por ano - a maioria referentes a apenas um animal.

As razões que explicam este fenómeno na região não são totalmente conhecidas, assinala o mesmo comunicado, adiantando várias hipóteses como doença, erro de navegação, características geográficas específicas, mudanças repentinas da maré, perseguição por predadores ou condições meteorológicas extremas.

Quanto mais cedo a tecnologia puder avançar e nos der uma ideia sobre o porquê de isto acontecer, melhor”.

Em fevereiro do ano passado, mais de 400 baleias-piloto deram à costa em Golden Bay, na Nova Zelândia, e a maioria acabou por morrer encalhada. Dado que esta é uma situação recorrente na região, os habitantes locais não ficaram surpreendidos. Este foi o terceiro pior encalhe de baleias-piloto testemunhado naquela zona.