“Esta noite não temos casa, foi bombardeada e fiquei nos escombros. Vi mortes e quase morri”. Este é apenas um dos tweets publicados por Bana Alabed, a menina síria de sete anos, que nos relata o horror de viver em Alepo através da sua conta de twitter, gerida por si a pela sua mãe Fatemah.

Bana Alabed tem milhares de seguidores nesta rede social e é através dela que nos mostra como é viver com a guerra à porta de casa.

“Estamos em fuga, quando muitas pessoas estão a ser mortas, agora, em fortes bombardeamentos. Estamos a lutar pela vida. Ainda estamos aqui”, escreveu Fatemah, mãe da menina.

Nos últimos dias, o exército de Bashar al Assad tomou uma parte da cidade de Alepo que estava sob controlo dos rebeldes. Recorde-se que esta foi a cidade berço da revolta que dura há mais de quatro anos e é o epicentro da guerra civil que abala o país.

O avanço das tropas governamentais está a aumentar a fuga dos civis da zona rebelde, mas Bana Alabed permanece na cidade com a família. É ela e a sua mãe que relatam ao mundo a morte vinda do céu, lançada por aviões sírios e russos.

“Sob bombardeamentos pesados agora, já não se pode estar vivo. Quando morrermos, continuem a falar pelos 200 mil ainda dentro. Adeus”

Num dos seus últimos tweets, de segunda para terça-feira, Bana escreveu: “Não temos casa agora. Fiquei com ferimentos ligeiros. Não durmo desde ontem e tenho fome. Eu quero viver, eu não quero morrer”

Fatemah, a mãe da pequena Bana, já confirmou que ficaram sem casa mas que a família está ainda viva, na casa de vizinhos.

E já esta terça-feira de manhã um tweet de esperança: “Boa tarde de Alepo. Estou a ler para esquecer a guerra”

A conta de Bana Alabed foi criada em setembro de 2016 e já conta com 167 mil seguidores. O número não para de crescer porque, de alguma forma, poucos conseguem dar conta do que se passa no terreno. E aqui, a vida desta menina é o diário de um povo desesperado e com fome.

Sábado, a conta de Bana já dava conta dos avanços das tropas no terreno, divulgando vídeos de colunas de fumo no horizonte. Um horizonte demasiado próximo. Domingo e segunda-feira chegaram os bombardeamentos. A fuga. O escapar à morte, mais uma vez.

Bana Alabed, é fã dos livros de Harry Potter e, recentemente, cativou a solidariedade da escritora britânica J.K. Rowling. A criadora da personagem que faz as delícias de crianças de todo o mundo tem reproduzido, os tweets de Bana na sua própria conta do twitter.

Redação / PP