O campo de refugiados Rohingya, em Cox's Bazaar, no Bangladesh, está a ser afetado por graves inundações, provocadas pela época de monções que atinge o país.

Cerca de 700 mil refugiados Rohingya, uma população de muçulmanos, vivem neste campo, no Bangladesh, desde que foram obrigado a fugir a perseguições no Myanmar.

Segundo os dados disponíveis, já morreram dois jovens e muitas outras crianças estão feridas. Mais de 750 centros de aprendizagem e 12 centros de proteção de crianças sofreram danos. As cerca de 26 mil crianças que vivem nestes campos estão agora impedidas de ir à escola. Segundo a UNICEF, a maioria das casas, feitas de bambu, não resistiu ao colapso, afetando mais de três mil famílias.

A UNICEF do Bangladesh está a realojar muitos destes refugiados e está também a tratar da limpeza destes locais. A organização mostrou-se preocupada com os estragos provocados pelas chuvas e com o estado vulnerável dos Rohingya.

Kawser, uma refugiada que vive neste local, contou à CNN que os filhos têm sofrido de febre, mas que não conseguem arranjar medicação.

O Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros do Bangladesh, Shahidul Haque, afirmou que o país está, em conjunto as Nações Unidas, preparado para as consequências das chuvas.

A época das monções, neste momento a atingir o sul do Bangladesh, está prevista durar até outubro.