A cidade do Porto vai receber uma exposição do fotógrafo Barry Cawston sobre o projeto Dismaland, uma sátira à Disneylândia, da autoria do artista britânico Banksy. A Alfândega do Porto vai receber obras do artista cuja identidade permanece desconhecida a partir de 19 de janeiro. A mostra fica em exposição até 31 de março.

De acordo com informação publicada no site da exposição, “Banksy, Dismaland and Others” por Barry Cawston “é uma exposição poderosa que nos leva numa viagem por este trabalho fenomenal, de um artista que há mais de 25 anos usa a sua arte para questionar os valores da sociedade e que chega agora, e pela primeira vez, a Portugal”.

A exposição, que vai ser acolhida pela primeira vez em Portugal, vai contar com “44 fotografias de grande dimensão” e vai integrar “imagens do projeto Dismaland (2015)” – uma sátira criada por Banksy, aos parques da Disney. 

O parque de diversões Dismaland foi criado por Banksy, em 2015, em Weston-super-Mare, numa cidade na zona costeira do oeste de Inglaterra. O Dismaland Bemusement Park era apresentado como “um festival de arte, diversões e anarquia para principiantes”, que funcionou apenas durante cinco semanas e teve um número de entradas limitado. Incluía um castelo, um cinema, um minigolfe, uma tenda de circo e a Ilha da Guerrilha, uma celebração da arte de guerrilha.

Além do projeto Dismaland, vão estar ainda disponíveis outras obras do artista como o “Walled Off Hotel” (2017) ou “Flower Thrower” (2005). 

Vai estar também disponível uma instalação audiovisual, onde vão ser projetados documentários sobre Banksy e o seu trabalho. “Banksy does New York (2014) e “Saving Banksy” (2017) são alguns dos projetos centrados na obra do artista disponíveis para exibição.

A mostra vai integrar vários trabalhos de artistas nacionais, de forma a lançar novos nomes para a arte urbana.

Banksy ficou conhecido com os trabalhos satíricos que espalhou pelas paredes de várias cidades do mundo. As suas obras de arte refletem temas como a guerra, a pobreza infantil e o meio ambiente.

A identidade do artista permanece um mistério, mas os trabalhos têm alcançado valores elevados em leilões. Recorde-se que em outubro do ano passado, uma obra de Banksy autodestruiu-se depois de ter sido vendida por 1,18 milhões de euros durante um leilão que decorreu em Londres.