"Para Malia, Sasha e respetivos  amigos, a discriminação de qualquer forma contra qualquer pessoa não faz sentido. Não lhes faz diferença se os amigos são gays ou se os pais deles são pessoas do mesmo sexo. Isso é poderoso ", disse o presidente à "Out", acrescentando que práticas como a terapia de conversão devem acabar.