O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou terça-feira ao chefe de Estado brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, para estreitar relações e elogiar o seu papel na resolução da crise financeira internacional, informaram fontes oficiais, citadas pela Lusa.

Na chamada, que durou 15 minutos, Obama agradeceu ao governante brasileiro as felicitações depois da sua vitória eleitoral e destacou a importância do êxito do plano de desenvolvimento do Brasil e dos seus programas sociais, explicaram porta-vozes da presidência brasileira.

O próximo presidente dos Estados Unidos elogiou o papel do Brasil no Grupo dos 20 (G-20) e a sua contribuição na resolução da crise financeira internacional.

Obama manifestou o seu interesse nos programas de desenvolvimento das energias renováveis que estão a ser realizados no Brasil e manifestou desejo de estreitar relações neste âmbito entre os dois países.

Lula convida Obama a visitar o Brasil

O Brasil, que é o maior produtor e exportador de etanol do mundo e tem como primeiro cliente os Estados Unidos, reclama do seu parceiro comercial a redução das taxas alfandegárias a este produto e dos subsídios aos produtores locais.

Obama também lhe transmitiu o seu «orgulho» por ter tido em Harvard um professor brasileiro, que precisamente ocupa agora uma pasta no gabinete de Lula, Roberto Mangabeira Unger, ministro dos Assuntos Estratégicos.

Lula comunicou a Obama a sua disposição de intensificar as relações comerciais entre os dois países e manifestou-lhe o seu desejo de os Estados Unidos aprofundarem as suas relações com a América Latina e colaborarem na reforma das Nações Unidas, instituição em que o Brasil deseja ter um lugar permanente no seu órgão máximo, o Conselho de Segurança.

O presidente brasileiro disse ao seu homólogo norte-americano que espera manter as boas relações que tinha com a administração de George W. Bush e convidou-o a visitar o Brasil. Obama respondeu que o fará na primeira oportunidade que tiver.

Lula recebeu a chamada de Obama em Roma, onde terça-feira começou uma visita oficial que termina quinta-feira.
Redação / CR