Os distúrbios continuaram durante a tarde e início de noite desta terça-feira em várias cidades da Catalunha, em protesto pelas penas de prisão aplicadas a nove líderes independentistas. 

Segundo a imprensa espanhola, dezenas de milhares de pessoas participaram nas  manifestações convocadas para diante das delegações de Governo nas principais cidades catalãs, e onde se viveram momentos de grande tensão. Os manifestantes pegaram fogo a contentores e lançaram objetos contra os agentes da polícia, que carregaram contra a multidão: em Barcelona, concentraram-se cerca de 40 mil pessoas, três foram detidas e pelo menos nove ficaram feridas. 

 

Durante a manhã, foi necessário cortar estradas e foram registados incidentes em Lleida, Sabadell e Tarragona. 

Na noite de terça-feira, os Mossos (polícia catalã) pediram aos habitantes de Barcelona para que não se aproximassem dos jardins do bairro de Gràcia, devido às barricadas e aos focos de incêndio provocados pelos manifestantes.  

Também na noite de terça-feira, o governo espanhol reagiu em comunicado aos protestos, dizendo que a violência é generalizada e que as manifestações não são fruto "de um movimento cidadão pacífico", mas coordenadas por grupos que usam a violência nas ruas para perturbar a convivência na Catalunha.