O jornal norte-americano New York Times vai responder, com um anúncio televisivo sobre "verdades difíceis", ao facto de ter sido barrado na Casa Branca, juntamente com outros órgãos de comunicação social. O anúncio vai ser divulgado durante os intervalos da emissão televisiva da gala dos Óscares, que decorre no domingo, madrugada de segunda-feira em Portugal, mas há já 30 segundos disponíveis no YouTube.

"A verdade é difícil" é o título do anúncio. Ouvem-se e lêem-se frases com as várias afirmações difíceis de conciliar, como:

A verdade é que os 'factos alternativos' são mentiras

A verdade é que as alterações climáticas são um embuste".

A conclusão do New York Times é que "a verdade é difícil, é difícil de encontrar, é difícil de conhecer", mas "é mais importante agora do que alguma vez foi".

Entretanto, Donald Trump anunciou, no Twitter, que não vai estar presente no jantar da Associação dos Correspondentes da Casa Branca deste ano, agendado para 29 de abril.

Entre os órgãos de comunicação que foram barrados, numa conferência de imprnesa, na sexta-feira, estão o The New York Times, o Los Angeles Times, o Politico e a CNN. 

Por outro lado, órgãos de comunicação conservadores como o Breitbart News, o The Washington Times ou o One America News Network tiveram acesso ao briefing.

Jornalistas da revista Time e da Associated Press tinham autorização para entrar, mas decidiram não o fazer na sequência destes acontecimentos.

O editor executivo do The New York Times logo frisou, em comunicado, que "nunca tinha acontecido algo deste género"na Casa Branca, que já conheceu "várias administrações", de "diferentes partidos".

A Associação de Correspondentes da Casa Branca (WHCA, na sigla em inglês) também condenou o sucedido.

Donald Trump atacou na sexta-feira os jornalistas, criticando o uso de fontes anónimas em notícias sobre alegados contactos entre conselheiros presidenciais e agentes secretos russos.

Na cerimónia, uma das apresentadoras será a atriz Meryl Streep, que criticou o Presidente norte-americano num discurso na cerimónia dos Globos de Ouro, levando a uma resposta irada de Donald Trump contra a "atriz decadente" numa série de mensagens na sua conta da rede social Twitter.