O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defende que a Síria «estaria melhor» sem Bashar al Assad, informou na quarta-feira o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, citado pela agência noticiosa Efe.

A declaração de Jay Carney, em conferência de imprensa, e que sucede à imposição de novas sanções norte-americanas à Síria, é a mais grave dirigida por Washington ao regime de Bashar al Assad desde que a secretária de Estado, Hillary Clinton, afirmou que o presidente sírio perdera a sua legitimidade enquanto líder.

«Estamos a assistir com horror ao que Assad está a fazer ao seu próprio povo», declarou o porta-voz da Casa Branca, acrescentando que a violência do regime sírio merece cada vez mais «a condenação da comunidade internacional».

Os EUA prometeram trabalhar com os parceiros internacionais para «aumentar a pressão» sobre o presidente sírio.
Redação / CP