O último grupo armado de rebeldes sírios saiu de Alepo, esta quinta-feira, e o regime de Bashar al-Assad recuperou o controlo na íntegra da cidade.

O processo de evacuação de Alepo durou cerca de uma semana, durante a qual foram, segundo números das Nações Unidas, evacuadas mais de 34 mil pessoas.

As pessoas retiradas da cidade foram levadas para território rebelde na região oeste de Aleppo e na província de Idlib, controlada pelas forças contra o regime sírio.

Esta é uma grande vitória para Bashar al-Assad e os seus aliados, cuja recuperação da cidade foi fortemente ajudada por ataques aéreos russos.

A libertação de Aleppo "é também uma recaída para todos os países que são hostis ao povo sírio e que têm usado o terrorismo como um meio para realizar seus interesses", disse o presidente sírio que esteve reunido com o ministro dos negócios estrangeiros para os assuntos árabes e africanos, Hossein Jaberi Ansari, esta quinta-feira em Damasco, na Síria.

Além dos sucessos no campo de batalha contra o terrorismo, devemos levar em conta as dimensões humanitárias e políticas da crise da Síria e adotar as medidas necessárias a este respeito", disse Hossein Jaberi Ansari.

Para o governante, este foi "um passo básico no caminho para acabar com o terrorismo em todo o território sírio e criar as circunstâncias certas para encontrar uma solução para acabar com a guerra".