O presidente sírio, Bashar al-Assad, afirmou este domingo que o Estado tinha «obrigação» de agir «face aos fora-da-lei», que acusou de «aterrorizarem a população», segundo a agência oficial Sana.

«Agir face aos fora-da-lei que cortam as estradas, fecham as cidades e aterrorizam a população é uma obrigação para o Estado, que deve defender a segurança e proteger a vida dos cidadãos», disse Assad.

Falando durante um encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros libanês, Adnane Mansur, Assad afirmou, por outro lado, que a Síria «avança com um passo firme na via das reformas».

O presidente sírio falava momentos depois de o Papa se ter juntado aos apelos internacionais contra a repressão neste país. Bento XVI apelou ao restabelecimento, «o mais rapidamente possível, da coexistência pacífica».
Redação / CP