Investigadores norte-americanos dizem ter descoberto numa gruta em Israel marcas daquela que é a cervejaria mais antiga do mundo. Com a descoberta, constaram ainda que a cerveja é mais antiga do que se pensava.

Através de pesquisas arqueológicas, os investigadores encontraram resíduos de cerveja com 13 mil anos numa caverna pré-história perto de Haifa.

Esta descoberta foi feita sem quererem, enquanto estudavam um local de enterros de caçadores-coletores seminómadas.

Como resultado destes achados, publicados na revista Journal of Archaeological Science: Reports, desmentiu-se aquela que se pensava ser a idade da popular bebida dos dias de hoje. Os historiadores acreditavam que o processo de fazer cerveja tinha começado há cerca de cinco mil anos, mas parece que a bebida é um pouco mais antiga.

Este é o registo mais antigo de produção de álcool pelo homem no mundo”, afirmou Li Liu, professora e investigadora da Universidade de Standford, que fazia os trabalhos arqueológicos em Israel.

O grupo de investigação procurava marcas do tipo de alimentação da população Natufian, que viveu entre as Eras Paleolítica e Neolítica quando encontraram traços da fermentação de uma bebida alcoólica.

Esta cerveja antiga agora descoberta, acreditam os investigadores, teria uma aparência pouco semelhante à da cerveja que consumimos hoje.