O Presidente da Tunísia, Béji Caïd Essebsi, de 92 anos, morreu esta quinta-feira, após ter sido hospitalizado nos cuidados intensivos há algumas horas, anunciou a Presidência tunisina na sua página na rede social Facebook.

O primeiro Presidente foi o primeiro a ser democraticamente eleito na Tunísia, em 2014, três anos após a queda de Zine el Abidine Ben Ali. Essebsi morreu alguns meses antes do fim do seu mandato.

O chefe de Estado tunisino tinha sido internado num hospital militar há cerca de um mês, mas acabaria por sair poucos dias depois. Esta quinta-feira voltou a ser internado, mas já não deixou o hospital. Béji Essebsi era o mais velho Presidente no ativo.

Antes de ser eleito Presidente da Tunísia, Essebsi foi chefe de diplomacia entre 1981 e 1986. Exerceu ainda as funções de primeiro-ministro durante alguns meses, em 2011.

Depois de ser eleito no pós-Primavera Árabe, o presidente da Tunísia procurou sempre zelar pela manutenção do estado democrático no país africano.

A hegemonia é uma ilusão. Não haverá um regresso a essa situação. Sou a favor de que se vire completamente a página do passado e se olhe em direção ao futuro. Num processo democrático existem regras", afirmou Essebsi depois de ser eleito, em 2014.

A hegemonia é uma ilusão (...). Não haverá um regresso a essa situação [na Tunísia]. Sou a favor de que se vire completamente a página do passado e se olhe em direção ao futuro. Num processo democrático há regras