Pelo menos 77 jovens belgas, com idades entre os 18 e os 23 anos, testaram positivo para a covid-19 após regressarem de férias em Albufeira, no Algarve, noticia a imprensa nacional, que cita as autoridades.

De acordo com o governador da província de Flandres Ocidental, cuja capital é Bruges, são esperados "mais resultados positivos".

Carl Decaluwé disse, ainda, que também foram registados casos positivos em turistas belgas que estiveram no Sul de Portugal e não integraram as viagens organizadas pelo operador turístico belga Summer Bash, especializado em viagens para jovens de 16-24 anos.

Os jovens estiveram no Algarve entre os dias 2 e 12 de setembro.

Na habitual conferência de imprensa de balanço da situação de covid-19 em Portugal, a diretora-geral da Saúde confirmou que a situação foi detetada depois do regresso dos jovens à Bélgica. Graça Freitas adiantou que o grupo vivia numa "situação muito gregária".

Para a Direção-Geral da Saúde o mais importante é encontrar o primeiro caso, por forma a perceber se o surto teve origem em Portugal ou dentro daquela comunidade.

Não há nenhuma garantia que tenha sido a partir de um residente em Portugal que a infeção se verificou", disse.

Ao todo, foram 130 os jovens belgas que passaram férias na primeira quinzena em Portugal com o operador turístico Summer Bash, tendo a empresa recomendado a realização de testes e de quarentena.

A maioria destes jovens são das cidades de Waregem, Tielt e Roeselare, na Flandres Ocidental, a parte neerlandesa da Bélgica.

“Suspeito que não seguiram totalmente as medidas de segurança e que andaram sempre em festas", disse por seu turno o presidente da câmara municipal de Waregem, Kurt Vanryckeghem, também citado pela imprensa.

Um porta-voz da Summer Bash explicou que é a agência que "organiza tudo para os jovens - voo, transporte, estadia e excursões" e que "trabalharam o verão todo sempre problemas com mais de 1.000 jovens".

À semelhança da região metropolitana de Lisboa e do norte de Portugal, o Algarve integra a classificação de “zona laranja” no sistema de semáforos do Ministério dos Negócios Estrangeiros belga, o que significa que o rastreio e a quarentena são apenas recomendados no regresso à Bélgica.

As autoridades belgas anunciaram que registaram, em média, 779 contágios por dia na semana de 6 a 12 de setembro, um aumento de 52% em relação ao período de sete dias anterior, estando previsto para hoje novo balanço. No total, o país já registou 94.795 casos de contágio e 9.930 mortes por covid-19 desde o inicio da pandemia.

Redação / CM