Quatro turistas finlandeses vão ser deportados e impedidos de regressar à Malásia depois de terem sido detidos por distribuírem material cristão numa ilha turística do país de maioria muçulmana, informou hoje a polícia.

As duas mulheres e os dois homens, com idades entre 27 e os 60 anos, foram detidos no dia 20 de novembro no seu hotel na ilha de Langkawi, depois da polícia ter recebido várias queixas de que estavam a distribuir materiais cristãos em locais públicos.

A polícia também apreendeu 47 canetas e 336 cadernos que continham, respetivamente, versículos e textos da Bíblia.

O chefe de polícia de Langkawi, Mohamad Iqbal Ibrahim, disse que os quatro foram entregues ao departamento de imigração, após a decisão dos promotores públicos de os deportar. Ibrahim adiantou que os quatro também serão colocados na lista negra e que o material cristão apreendido será destruído.

O gabinete do procurador-geral vai enviar uma carta à embaixada da Finlândia para expressar descontentamento pela conduta dos seus cidadãos, acrescentou.

A tentativa de converter muçulmanos, que compõem quase dois terços dos 31 milhões de habitantes da Malásia, é proibida naquele país, embora o contrário seja permitido. Os muçulmanos também não podem legalmente mudar de religião.

A agência de notícias finlandesa STT informou que um dos detidos pertence a Joosua Missio, um grupo de jovens cristão finlandês conhecido por promover estilos de vida saudáveis e visitar os festivais de música do país nórdico com seu próprio autocarro batizado de "Finlândia para Jesus".