Um supervisor do Tribunal da Família do estado norte-americano de Filadélfia foi despedido depois de ter sido gravado a rasgar cartazes contra o racismo.

Segundo o jornal local Philly Voice, Michael Henkel, que supervisionava os servidores de escritura, foi despedido por várias violações do Código de Conduta do Tribunal e da política de não discriminação e igualdade de emprego, avançaram as autoridades judiciais.

O tribunal vê estes incidentes com muita seriedade e acredita que o comportamento de Michael Henkel, exibido no vídeo, é totalmente inaceitável para um trabalhador da justiça”, afirmou em comunicado Martin O'Rourke, porta-voz do distrito judicial.

 
  

Um vídeo com cerca de um minuto mostra Henkel a rasgar cartazes e pósteres do movimento Black Lives Matter nas ruas de Filadélfia ao mesmo tempo que discutia com uma mulher sobre aquilo que estava a fazer.

Depois de Henkel dizer à mulher que são os seus impostos que pagam os locais públicos onde estavam os cartazes, a mulher respondeu em tom de protesto: “As vidas negras importam”!

Para mim não. Para mim não importam. Chamem a isto o que quiserem. Vão-se lixar”, disparou Michael Henkel.

Os cartazes estavam nas ruas há cerca de uma semana e foram feitos por várias pessoas, incluindo crianças, segundo a estação televisiva WHYY. 

O vídeo de Henkel surge depois de um grupo de aproximadamente 100 residentes armados se juntar ao pé da estátua de Cristovão Colombo na praça Marconi para a defender dos manifestantes.