O navio encalhado no canal do Suez, que atrapalha o comércio mundial há quase uma semana, “desencalhou parcialmente” e começou a flutuar, esta segunda-feira, de acordo com Autoridade do Canal do Suez. A notícia aumenta assim as expetativas de que a passagem marítima possa ser reaberta em breve, limitando o impacto económico deste bloqueio.

De acordo com a Reuters, o Ever Given, um cargueiro de 400 metros, foi endireitado no canal e deverá agora passar por uma fase de inspeções iniciais antes de ser movido. As autoridades egípcias alertaram ainda para a complexidade da operação que está a decorrer, mas sublinharam estar cada vez mais otimistas que o navio seja desencalhado em breve.

Segundo a Autoridade do Canal do Suez "a posição do navio foi reorientada 80% na direção certa". A popa do navio encontra-se agora a 102 metros da costa, depois de ter estado a apenas quatro.

O chefe da autoridade, Osama Rabie, afirmou, na televisão egípcia, que o canal passará a funcionar em pleno assim que o navio flutue integralmente. Posteriormente, serão precisos três dias e meio para que o tráfego volte ao normal, uma vez que muitos navios estão parados há vários dias, enquanto aguardam o desencalhamento do Ever Given.

Vídeos partilhados na rede social Twitter, mostram as equipas que trabalham a bordo de navios rebocadores a festejar aquilo que parece ter sido um avanço significativo na resolução do bloqueio.

O Ever Given desencalhou parcialmente no Canal de Suez, faltando confirmação oficial da autoridade do Canal”, escreveu a Leth Agencies, uma das operadoras daquela travessia marítima.

Pelo menos 359 navios continuam à espera de transitar o canal, incluindo dezenas de porta-contentores, petroleiros e navios de transporte de gás natural. 

Na sexta-feira, a Autoridade do Canal de Suez informou que as obras de desbloqueio do Ever Given avançaram 87%, embora sábado, numa entrevista, Osama Rabie admitisse não poder estimar quando a passagem pelo canal será desbloqueada.

O navio, do tamanho de um arranha-céus, na noite de terça para quarta-feira, atravessou-se no Canal do Suez, no Egito, segundo as primeiras investigações devido a fortes ventos e a uma tempestade de areia, bloqueando a passagem de 10% do comércio mundial e de 25% dos contentores de carga.

Algumas embarcações já estão a desviar a sua rota para o Cabo da Nova Esperança, para contornar a África, apesar de esta rota precisar de mais dias de navegação.

Com capacidade para 224 mil toneladas de carga, o porta-contentores Ever Given de 400 metros, da empresa de Taiwan Evergreen, que tem bandeira do Panamá, bloqueou o canal e a passagem de 10% do comércio mundial e de 25% dos contentores de carga.