O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou uma mensagem de solidariedade ao seu homólogo de Cuba, na qual expressou condolências pelas vítimas do acidente aéreo ocorrido sexta-feira naquele país, com 107 mortos.

Ao tomar conhecimento do trágico acidente de aviação ocorrido hoje no Aeroporto Internacional José Martí, quero transmitir a Vossa Excelência, em nome do povo português e no meu próprio, os sentimentos do nosso pesar e sentida solidariedade", refere uma nota de Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado acrescenta que o pensamento dos portugueses "está com todos aqueles que foram atingidos neste acidente e, em particular, com quantos sofreram a dor das perdas humanas".

As autoridades mexicanas anunciaram que o Boeing 737-201 que caiu hoje em Cuba, com 110 pessoas a bordo, foi construído em 1979, explicando que o avião foi alugado pela companhia estatal cubana.

Um comunicado do Departamento de Transportes do México salienta que o piloto era o capitão Jorge Luis Nunez Santos e o copiloto o primeiro oficial Miguel Angel Arreola Ramirez, acrescentando que as comissárias de bordo eram Maria Daniela Rios, Abigail Hernandez Garcia e Beatriz Limon, e que Marco Antonio Lopez Perez, da manutenção, também estava a bordo.

O avião foi alugado pela transportadora estatal cubana”, explica, referindo que pertence à companhia mexicana Damojh, que também é conhecida por Global Air.

O avião despenhou-se momentos depois da descolagem do aeroporto Internacional José Martí, em Havana, com 110 pessoas a bordo, 104 passageiros e seis membros da tripulação, informaram as autoridades no local.

Quatro sobreviventes foram transportados para o hospital de Havana e três deles continuam vivos”, afirmou o diretor do hospital, Martinez Blanco, em declarações à televisão estatal de Cuba, com informações que estão em estado crítico.

As autoridades ainda não confirmaram oficialmente o número de vítimas mortais.

Os familiares das pessoas a bordo do avião estão a ser encaminhadas para uma zona privada do aeroporto em Havana, enquanto aguardam por informações.

Existe um número elevado de pessoas que morreram. As coisas estão organizadas, as chamas foram apagadas e os restos mortais estão a ser identificados”, disse o Presidente cubano, Miguel Diaz-Canel, que está no local do acidente.