A falta de oxigénio nos hospitais de Manaus, no Brasil, levou vários políticos, artistas e clubes desportivos a unirem-se em apelos e doações para ajudar os pacientes internados naquelas unidades de saúde, que entraram em colapso.

A situação, considerada caótica por médicos e familiares de pacientes, obrigou o governador do estado do Amazonas, cuja capital é Manaus, a transferir os doentes infetados com covid-19 para outras cidades do país.

"Expresso a minha gratidão como ministro de Estado pela atitude humanitária dos governadores que aceitaram de imediato receber pacientes com covid-19 vindos do Amazonas. Eles serão alocados inicialmente em hospitais universitários federais para um atendimento justo. Ninguém fica para trás! Somos uma só Nação!", escreveu no Twitter o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos.

Vários atores, cantores, comediantes e 'youtubers' comoveram-se com a situação, que deixou sem oxigénio centenas de pessoas no Amazonas, e usaram as redes sociais para apelar à ação política e anunciar a doação de cilindros de oxigénio.

Providenciando 20 cilindros de 50 litros de oxigénio para distribuir nas unidades mais urgentes em Manaus! ‘Alô’ meus amigos artistas! Na hora de fazer espetáculos é tão bom quando o público nos recebe com carinho, não é? Vamos retribuir?", apelou no Twitter Whindersson Nunes, um dos maiores 'youtubers' brasileiros.

Além de Whindersson, também artistas brasileiros como Tata Werneck, Marília Mendonça e Wesley Safadão anunciaram a doação de cilindros de oxigénio.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram as próprias famílias de pacientes a transportar para os hospitais tanques de oxigénio que adquiriram por conta própria.

No universo desportivo, vários clubes de futebol usaram a 'hashtag' #OxigenioParaManaus para chamar a atenção para a crise de saúde que se abate sobre o estado do Amazonas, no norte do país.

"Uma pausa neste dia de comemorações para unir a nossa voz num pedido de socorro: #OxigenioParaManaus", escreveu no Twitter o Santos Futebol Clube.

Fiel, é hora de chamar atenção para um assunto muito grave. #OxigenioParaManaus", apelou por sua vez o clube Corinthians nas redes sociais.

A falta de oxigénio nos hospitais do Amazonas fez com que vários políticos responsabilizassem o atual Governo, presidido por Jair Bolsonaro, que classificaram de "incompetente".

"O que está a acontecer em Manaus é criminoso! Falta oxigénio nos hospitais e pacientes estão a ser transferidos para outros estados. Faltam camas! Uma tragédia sem precedentes, que conta com a omissão de um governo federal incompetente!", criticou no Twitter o líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues.

A falta de oxigénio em Manaus, o atraso na vacina, a falta de coordenação com estados e municípios são resultado da agenda negacionista que muitas lideranças promovem. Está na hora de todas as forças se unirem para salvar vidas", escreveu por sua vez o presidente da Câmara dos Deputados brasileira, Rodrigo Maia.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, visitou o Amazonas esta semana e afirmou que Manaus é "prioridade nacional neste momento".

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (207.095, em mais de 8,3 milhões de casos), depois dos Estados Unidos.

/ AG