Uma celebração no Rio de Janeiro, no domingo, que marcava o início da contagem de 50 dias para o famoso carnaval brasileiro, ficou marcada por confrontos entre a polícia e a população no bairro de Copacabana.

Quando a noite caiu sobre a festa que atraiu centenas de milhares de pessoas, a polícia procurou dispersar a multidão, com pessoas a fugirem pela praia.

As forças de segurança perseguiram e detiveram um homem, o que originou o lançamento de garrafas por parte de populares, não tendo ficado claro como o distúrbio começou.

"Estávamos a desfrutar pacificamente do carnaval quando a polícia lançou gás lacrimogéneo", disse Isaque Batista, barbeiro de 22 anos.

Não houve tumulto anterior. A polícia chegou a lançar gás lacrimogéneo, quando não havia necessidade", acrescentou.

As autoridades disseram que as forças de segurança dispersaram a multidão depois de um grupo de polícias ter sido atacado com garrafas, pedras e outros objetos. Um polícia municipal sofreu ferimentos leves.

A polícia militar tinha-se oposto à realização da festa em Copacabana, alegando que não havia tempo suficiente para organizar a segurança do evento.