Um grupo fortemente armado atacou uma agência bancária no interior de São Paulo, no Brasil, na madrugada desta segunda-feira.

Segundo a imprensa brasileira, após o ataque ao banco, o grupo com cerca de 50 pessoas abordou quem passava na rua, assim como motoristas, e fizeram-nos reféns, nas ruas da cidade de Araçatuba.

As autoridades confirmaram que a ação dos assaltantes em Araçatuba, uma cidade na região noroeste do estado de São Paulo com cerca de 200 mil habitantes, durou algumas horas, envolveu reféns, tiroteios, explosivos, uso de um drone e grande violência perpetrada pelos criminosos na hora da fuga.

De acordo com a CNN, três pessoas  (dois moradores e um assaltante) morreram, três ficaram feridas e outras três foram presas. Ainda não são conhecidas as circunstâncias daa mortes.

O prefeito de Araçatuba, Dilares Borges, disse em entrevista á rádio CBN (da Globo)que “foi uma noite de terror” e confirmou as três vítimas mortais, que ainda não foram identificadas.

“Em poucas horas devemos ter resultados positivos com a prisão de parte dessa quadrilha”, frisou o prefeito de Araçatuba, que suspendeu as aulas na cidade e pediu que a população ficasse em casa.

O grupo cercou unidades da polícia militar e viaturas e usou drones para monitorizar as operações policiais, numa tentativa de controlar as entradas da cidade.  

Nas redes sociais, há imagens que mostram o uso de reféns como "escudo humano" nos carros em movimento. 

Distribuídos em pelo menos 10 veículos, os responsáveis pelo ataque utilizaram explosivos com infravermelhos, que foram espalhados em pontos estratégicos da região. Numa das detonações, um ciclista foi atingido. Ainda não há informações sobre o estado de saúde da vítima.

As explosões também causaram queda de energia elétrica em parte da cidade. Ainda segundo os bombeiros, houve tentativa de assalto às agências do banco do Brasil e Caixa e Económica, localizadas muito próximas uma da outra.

A rodovia Marechal Rondon, um dos acesso à cidade, foi fechada pelos criminosos para atrasar a chegada das equipas policiais. Três carros e um autocarro foram incendiados.

Polícias de Bauru, Ribeirão Preto e presidente prudente foram acionados para reforço da segurança no local. Segundo informações da prefeitura, o governo do estado de São Paulo já tem conhecimento do ataque.

Ações semelhantes a esta têm sido perpetradas nos últimos anos em várias cidades do interior do Brasil por grupos fortemente armados e organizados que semeiam o terror para a realização de roubos.

Redação