A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) cumprem hoje cerca de 40 mandados de prisão, num desdobramento da operação Lava Jato, em vários estados brasileiros e também no Paraguai e Uruguai, divulgou a imprensa brasileira.

De acordo com o portal eletrónico de notícias G1, os agentes da PF e do MPF estão nas ruas para cumprir mandados em São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal (Brasília), mas também no Paraguai e no Uruguai.

A operação Lava Jato investiga um grande esquema de corrupção que envolve sobretudo políticos e empresários, nomeadamente na empresa estatal Petrobras.

A ação de hoje é contra os ‘doleiros’ (pessoas que negoceiam moeda estrangeira de forma ilegal) que integravam um sistema chamado ‘Bank Drop’.

A operação investiga a atuação de ‘doleiros’ que remetem recursos para o exterior através de uma ação conhecida como ‘dólar-cabo’.

O ‘dólar-cabo’ é o modo de envio de dinheiro para o exterior que não passa pelas instituições financeiras.

A operação tem como base a delação premiada (troca de informações com a justiça para redução da pena de prisão) dos “doleiros” Vinícius Vieira Barreto Claret e Cláudio Fernando Barbosa.

Os dois ‘doleiros’ trabalhavam para a organização criminosa chefiada pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, que já este preso.

Segundo a polícia, eram três mil ‘offshores’ em 52 países e que movimentavam 1,6 mil milhões de dólares (1,4 mil milhões de euros).

De acordo com as investigações, o grupo usava um ‘software’ que unia ‘doleiros’ do mundo todo, o que o Ministério Público Federal denominou como sendo uma "instituição financeira clandestina".