A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que agentes da corporação estão a realizar diligências, inclusive na mata próxima, em busca de indícios relacionados com o assalto no Consulado-Geral de Portugal do Rio de Janeiro, ocorrido na madrugada de sábado.

Os polícias realizam diligências, inclusive na mata próxima, em busca de indícios relacionados ao crime que possam ajudar a identificação da autoria”, destacou a corporação em nota de imprensa.

A autoridade policial também confirmou que o caso foi registado no 10.º Distrito Policial de Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro.

A perícia foi realizada no local e imagens de câmaras de segurança foram requisitadas para análise”, concluiu a Polícia Civil.

Anteriormente, fonte diplomática tinha confirmado à Lusa que a residência oficial do cônsul de Portugal no Rio de Janeiro, sede do Consulado, tinha sido invadida na madrugada de sábado e o diplomata e os seus familiares tinham sido feitos reféns.

Posteriormente, os reféns foram libertados e não há registo de feridos.

Segundo o jornal O Globo, testemunhas disseram à polícia que os assaltantes não sabiam que ali funcionava o Consulado, acreditando tratar-se apenas de uma mansão.

/ HCL