Numa votação mais renhida que o esperado, a moção de censura foi chumbada por 325 votos contra e 306 a favor, uma diferença de 19 votos. Com três dias para apresentar um plano B, a primeira-ministra garantiu já que o governo vai estudar alternativas para apresentar um novo acordo.

Assim que foi conhecida a votação, Theresa May convidou o líder da oposição, Jeremy Corbin, para conversações sobre um plano alternativo, mas o convite foi recusado. O líder dos trabalhistas reiterou que "prefere que May apresente primeiro um plano sem uma saída sem acordo"

O Partido Nacional Escocês (SNP) só inicia negociações se for garantido um segundo referendo. 

A União Europeia prepara-se já para alargar o período negocial e estender o prazo de saída para 2020.

Depois de dois dias com votações decisivas cabe à líder do Governo apresentar um novo plano ao Parlamento na segunda-feira. Nos próximos dias, seguem-se rondas negociações com os partidos e Bruxelas, apesar do aviso claro por parte da União Europeia de que "este é um bom acordo".

São já vários os cenários que se colocam em cima da mesa, como um novo referendo ou uma solução semelhante à da Noruega.