As forças armadas norte-americanas acusaram um caça russo de ter colocado em perigo a tripulação de um avião de vigilância da Marinha, por ter feito uma manobra de inversão a alta velocidade durante um encontro aéreo, na quarta-feira, sobre o Mar Mediterrâneo. 

A Marinha norte-americana classificou como "insegura" a intercessão entre o caça russo Su-35 e a aeronave de vigilância P-8, que durou cerca de 42 minutos.

A intercessão foi classificada como insegura uma vez que o Su-35 realizou uma manobra invertida a alta velocidade, de frente para o avião de vigilância a cerca de 8 metros, o que colocou os nossos pilotos e tripulação em risco", explicaram.

Dizem ainda que sentiram imensa turbulência e que foi um comportamento "irresponsável"

Os militares do Comando Espacial dos Estados Unidos acusaram Moscovo de ter realizado, no mesmo dia, testes para um míssil anti-satélite em espaço aéreo internacional. O comandante e chefe de operações espaciais deste organismo disse que isto demonstra que "as ameaças aos sistemas espaciais norte-americanos e aliados são reais, sérias e crescentes".

Este tipo de encontros aéreos perigosos entre os Estados Unidos e a Rússia não são novidade, mas foram diminuindo ao longo dos últimos anos. 

Cláudia Évora