condutor do camião que matou 12 pessoas e fez quase meia centena de feridos é um refugiado paquistanês, de 23 anos. É identificado como Naved B. e chegou à Alemanha em Fevereiro, avança o jornal alemão Bild.

O suspeito é conhecido da polícia por pequenos delitos e já terá usado diferentes nomes, mas não é possível ainda confirmar qualquer ligação ao Estado Islâmico.

Naved B. estava hospedado num albergue de refugiados, no antigo aeroporto de Tempelhof. 

Segundo o Die Welt, o suspeito tinha uma autorização de residência temporária desde junho.

O ministro do Interior alemão avançou, no entanto, que o suspeito detido está a negar qualquer envolvimento no ataque.

Naved fala um dos cinco dialetos regionais do Paquistão, Baluchi, para o qual não foi encontrado tradutor.

As autoridades alemãs detiveram o motorista pouco tempo depois do atropelamento, mas não tinham divulgado a nacionalidade do suspeito.

O suspeito, nascido a 1 de janeiro de 1993, conforme revela o Die Welt, foi detido pouco depois do atropelamento, depois de ter sido perseguido por uma testemunha. 

Entretanto, esta terça-feira, a polícia alemã está a efetuar buscas num antigo hangar que serve de abrigo a refugiados em Berlim, avança a revista alemã Focus.

Condutor polaco morto a tiro

Um dos 12 mortos anunciados depois do ataque no mercado de Natal tinha sido baleado. Segundo a revista Focus, que cita o ministro do Interior da Brandenburg, as autoridades acreditam que essa vítima seja o condutor polaco, desaparecido desde a tarde de segunda-feira.

Não sabemos nada dele desde esta tarde. Não sabemos o que lhe aconteceu. Ele é meu primo, conheço-o desde criança. [Coloco as mãos no fogo] por ele", tinha afirmado o dono da empresa à AFP.

Assim sendo, o condutor original do camião, primo do dono da empresa, é uma vítima e não o perpetrador do ataque.

O camião estava carregado com aço e estaria a fazer a viagem para a Polónia, tendo partido de Itália. O condutor do pesado passaria em Berlim para descarregar e acredita-se que o camião terá sido roubado nesta altura.

Tomásia Sousa / - notícia atualizada às 11:43