A polícia de Ontário, no Canadá, “caçou” um automobilista de 18 anos, que circulava a uma velocidade superior a 300 km/h.

Noah Lauricella conduzia o Mercedes-AMG C63 do pai, três vezes acima do limite de velocidade, que se fixava nos 100 km/h.

Esta foi a velocidade mais alta a que alguém foi apanhado. Isto podia ter-se transformado no acidente fatal mais devastador de sempre”, evidenciou o sargento Kerry Schmidt da polícia de Ontário.

Lauricella disparou o radar a uma velocidade de 308 km/h, um valor superior ao atingido pela maior parte dos aviões comerciais aquando da descolagem.

Velocidade inacreditável. Estamos a falar de 308 quilómetros por hora, 85 metros por segundo. É absolutamente escandaloso qualquer pessoa conduzir a estas velocidades”, reiterou a polícia canadiana.

 

O jovem acabou por ser condenado por “street racing” e condução perigosa e terá de pagar uma multa de 10 mil dólares canadianos. O transgressor incorre, ainda, numa pena que pode atingir os 10 anos de prisão, de acordo com o código de estrada do Canadá, e ficará sem carta durante um período que pode alcançar os dois anos.

 
Nuno Mandeiro